2 de junho de 2005

Detector de estupidez

Muitas pessoas defendem a pena de morte. Fulano tal matou a mãe à machadada, devia ser condenado á pena de morte. Eu não concordo com a pena de morte… bom talvez concorde em três casos terrorismo, genocídio e quando alguém aproveita uma faixa sem carros até ao fim e depois passa para uma faixa cheia de carros. Para mim pena de morte para quem faz isso e para quem deixa.
Lembrei-me de mais uma razão que é abrandar para ver melhor o acidente, quem morreu, o que se passa? É um trânsito do caraças porque cada carro que passa faz isto. Olha no outro dia uma gaja estava prestes a morrer deitada no chão mas uma pessoa abrandou, ficou a olhar e ela melhorou imediatamente.
A polícia anda preocupada com os gajos com álcool a mais. E os estúpidos que não bebem, os atrasados mentais que fazem manobras perigosas sem alcool? Eu por exemplo não sou estúpido… eu podre de bêbado a conduzir na pior das hipóteses deito-me continuo a acelerar com o pé direito e ponho o outro no volante e faço uns 30 km à vontade, rio ás gargalhadas e grito “granda noite pá” independemente de estar mais alguém no carro ou não. Mas isso sou eu que sou um gajo decente e os gajos mesmo estúpidos? Como controlamos o teor de estupidez? Eu tenho álcool no sangue e sou preso e um gajo se não tiver álcool não lhe acontece nada. Isto tem de mudar, faço uma sugestão um detector de estupidez. “Sopre isto com força… tá bom… “. Olhe o meu amigo ultrapassou o nível permitido de estupidez… andou a ver as vidas reais. Ó senhor guarda foi só 10 minutos. E o guarda: “mas viu alguma coisa ao longo do dia, ao almoço?” Eu respondo” vi o Goucha de manhã, depois o ás 2 por 3, à noite vi os batanetes e as vidas reais como sabe. O Guarda responde :”Olhe amigo vou ter de o autuar mas digo-lhe que é um milagre. Já vi muita gente que com 5 minutos de morangos com açúcar andam em sentido contrário. O meu amigo aguenta muito”.