4 de junho de 2005

Criar condições para os funcionários públicos trabalharem até aos 80 anos

Locais para fazer crochet nas pausas

Um rádio e um telefone para cada funcionário tentar ganhar o jogo da mala da Renascença

Cada funcionário tem direito a 40 molduras distribuídas pelo mesa de trabalho com suportes especiais para arquivar fotos de amigos do Ultramar, fotografias dos netinhos, bisnetinhos, filhos, nossas senhoras de não sei quê santinhas milagreiras, amuletos que ajudaram a curar o cancro.

Para os homens vai disponibilizar-se cadeirinhas iguais às dos jardins de Campo de Ourique para simular o ambiente da jogatana com fichas próprias para jogar e trocáveis à porta da repartição pública.

Cada funcionário terá direito a revistas de pornografia mesmo porcas e revistas evangélicas sobre o fim do mundo estar cada vez mais próximo para as mulheres.

Cada funcionário tem direito a 20 lenços diários para assoar e limpar a baba, uma garrafa de tinto, uma garrafa de cheirinho, uma garrafa de whisky, e uma garrafa de bebida branca à escolha.

Os computadores estarão equipados com monitores de 25 polegadas (tamanho de plasmas) para não cansar a vista.

Durante uma hora por dia haverá o convívio com campeonato de queixas de dores, apostas sobre quem vai morrer mais proximamente, campeonato de doenças e para planear a pré-época do Benfica ou do Belenenses.

A sala estará decorada com fotos do Salazar

Haverá também um sistema muito usado nos hospitais que permite aos funcionários fazer xixi a toda a hora sem sair da cadeira. Para quem precisar não vão faltar os carrinhos de soro.