2 de junho de 2005

Sketche entrevista de emprego

Patrão: Parabéns! Depois de termos entrevistado mais de 20 pessoas com grandes currículos decidimos escolhê-lo para chefe do departamento do desenvolvimento.
Venâncio: Fui eu? Não estava à espera. É bom porque estava desempregado e sem dinheiro.
Patrão: Como sabe este cargo é um cargo muito importante na nossa empresa. Considere-se um privilegiado.
Venâncio: Sim, Sim (a ironizar)
Patrão: (sem perceber) Não lhe tinha dito mas o seu ordenado vai ser de 5000 euros mais comissões.
Venâncio: 5000 euros? Mas isso não é nada de especial! Que comissões é que são?
Patrão: Então são prémios de produtividade conforme o seu desempenho, não é ?
Venâncio: Mas isso dá quanto?
Patrão: Depende de si.
Venâncio: Não gosto nada disso. Eu gosto de ter uma garantia e 5000 euros é muito pouco.
Patrão: É pouco? Mas com as comissões pode triplicar o ordenado.
Venâncio: Mas só se eu trabalhar muito e assim não quero. Desculpe lá mas eu não aceito menos de 10000 euros.
Patrão: Está bem. Como você me pareceu um elemento com muito potencial vou abrir esta excepção e dar-lhe 10000 euros.
Venâncio: Por mês hã? Não quero aldrabices ouviu?
Patrão: Por mês. Esteja descansado.
Venâncio: E digo-lhe já que eu quero o ordenado no último dia do mês! Não quero cá atrasos e essas coisas.
Patrão: Não se preocupe. Nós pagamos sempre e nunca ninguém se queixou de nós.
Venâncio: E como é que eu sei? Você pode dizer isso mas como é que eu tenho provas?
Patrão: Se quiser pode perguntar a toda a gente aqui.
Venâncio: Nã… Eles estão feitos consigo. Pensa que eu não sei? Já vi muito…
Patrão: Se eu não lhe pagar no último dia de cada mês você fica com o meu lugar.
Venâncio: Com o seu lugar para quê? Isso queria você para não fazer nada depois. Nã… se você não pagar no último dia paga-me 100 mil euros.
Patrão: Não se preocupe terá o seu ordenado sempre no dia 30. E se não tiver pago-lhe 100000 euros.
Venâncio: E cada vez que falhar novamente o valor duplica, percebeu bem?
Patrão: Pronto, duplica. E se falhar a terceira vez quadruplica.
Venâncio: Eu não quero estar a abusar. Se falhar a terceira vez triplica. Não se fala mais nisso. Disse-me que eu ia receber o ordenado dia 30. Porquê dia 30?
Patrão: Pronto em Fevereiro recebe dia 29 é esse o seu problema?
Venâncio: Em Fevereiro recebo dia 29? Está a querer enganar-me? Fevereiro é dia 28!
Patrão: Desculpe estava a referir-me a este ano que é bisexto.
Venâncio: Mas está só a pensar neste ano? Está a querer dizer-me que não espera que eu trabalhe aqui mais do que um ano? O senhor tem de ter uma visão global! Não pense assim senão não vai longe.
Patrão: Pronto está bem. Queremos o senhor por muitos e bons anos.
Venâncio: Acho bem. Mas porque é que se referiu só ao mês de Fevereiro? E os outros meses? Não me tente enganar!
Patrão: Os outros meses recebe no dia 30 ou 31, esteja descansado.
Venâncio: Está a querer enganar-me?? Outubro tem 22 dias, Março tem 25 e por aí fora pensa que eu não sei?
Patrão: Os outros meses têm ou 30 ou 31 (começa a utilizar o método da mão)
Venâncio: Meu amigo não pense que me engana. Eu vou estar atento.
Patrão: Este mês tem 31 dias.
Venâncio: Este mês não tem mais de 27 por amor de deus!
Patrão: Depois vemos não há razão para se chatear.
Venâncio: E queria dizer-lhe que quando pagar é com dinheiro verdadeiro e bem contadinho. Não vale com dinheiro do monopólio como me aconteceu uma vez.
Patrão: Nós fazemos por transferência bancária.
Venâncio: Nã nã. Eu sei muito bem como é que é isso. Vemos o saldo está lá mas você conhece lá os homens e depois manda tirar uma parte para eu não notar. A mim ninguém me engana. É com dinheirinho ou nada feito. E não pode ser falso.
Patrão: Pronto com dinheiro.
Venâncio: Assim está melhor.
Patrão: O seu horário é das 9 ás 6 da tarde.
Venâncio: Nã… Eu não consigo. Gosto de me deitar tarde. Vamos fazer assim eu entro ao meio-dia até…
Patrão: Se entra ao meio dia sai ás 9.
Venâncio: Está maluco? Isso é muito tarde! A que horas é que vou buscar o meu mais pequeno?
Patrão: Pronto está bem entra ao meio dia e sai ás 6.
Venâncio: Pode ser ás 5 e meia? É que ele não gosta de ficar á espera.
Patrão: Então entra ás 11 e meia.
Venâncio: Entro ás 11 e meia mas almoço ás 13 horas.
Patrão: Almoça das 13 ás 14 horas.
Venâncio: Nem pensar ! Gosto de relaxar, beber o meu cafezinho e o meu whisky e de ler as notícias. Entro ás 15.
Patrão: Entra ás 15 não há problema.
Venâncio: E queria dizer-lhe que eu aqui não admito assédio sexual. Não gosto nada de misturar assuntos profissionais com assuntos pessoais.
Patrão: Não se preocupe. Nós aqui somos todos amigos e nunca acontece essas coisas.
Venâncio: Isso é o que todos dizem, primeiro são umas conversas depois pimba! Pensa que eu não sei?
Patrão: Esteja descansado. Mas digo-lhe que vai ser difícil não ser amigo seu. Você parece ser muito fofinho.
Venâncio: Vai-te lixar paneleiro, maricas!
Patrão: Desculpe o que é que você me chamou?
Venâncio: Disse-lhe que você era um bocado gay.
Patrão: Um bocado, um bocadinho não faz mal a ninguém.
Venâncio: Não (irónico).
Patrão: Tem mais algum pedido a mais ou podemos começar a trabalhar?
Venâncio: Tenho mais um. Eu não aceito ordens de ninguém. Eu decido e ninguém tem o direito de interferir no meu trabalho. Comigo tem de haver respeitinho. Quem manda aqui sou eu!!
Patrão: Se é só isso não há problema.
Venâncio: Tenho uma dúvida. (hesita) Você aqui tem ADSL?
Patrão: O quê?? Eu não lhe admito!! Rua!! Está despedido!! O ké isto??? Você pensa qu´isto é o quê? (empurra-o para fora da porta violentamente).