21 de junho de 2005

Biscoito Interrompido entrevista personalidades sobre a disfunção eréctil

O Biscoito Interrompido - Tem-se falado muito na disfunção eréctil. Metade dos homens sofre deste problema. É o seu caso? Fale-me disso.

Sócrates - Quando o faço com homens não falho, é sempre a abrir.

Durão Barroso - Costumo dizer à Uva que um dia conseguirei empinar só não sei quando.

Marques Mendes - Sou pequenino mas as gajas depois de uma sessão de sexo louco é que costumam dizer granda nóia.

Sampaio - Se a Maria José fosse mais feminina isto ainda levantava mas assim não pá.

Cavaco - Nunca me engano (no buraco) e raramente falho uma erecção apesar de certas forças de bloqueio.

Jerónimo de Sousa - O problema da disfunção eréctil deve-se ao facto dos direitos dos trabalhadores não serem respeitados. Um trabalhador neste momento com estas condições de vida, com o desemprego, o sub-emprego, não consegue chegar a casa com cabeça para uma vida sexual normal. As próprias mulheres não tem estofo para seduzir os maridos porque são mal-tratadas no local de trabalho, têm ordenados mais baixos e têm muitas despesas com os filhos.

Ribeiro e Castro - Pá, estou aqui no partido há pouco tempo e não sei muito bem o que dizer sobre isso. Espera aí que eu vou ali pedir ajuda ao anterior líder que deve saber mais sobre isso ou então ao que deveria estar aqui que é o Telmo.

João Soares - A disfunção eréctil na nossa terra é um problema grave. Vamos a isto juntos. Eu sou um toiro na cama, porque é que achas que o avião caiu na Jamba? foi uma grande sova de sexo numa preta maluca.

Freitas do Amaral - Desde que estou no Governo já f**i mais vezes que o Sampaio num mandato.

BiBi - Toda a gente sabe que o cu dos putos é ainda mais apertado que o dos graúdos. É mesmo preciso ter força na verga pá.

Carvalhas - O problema da disfunção eréctil deve-se em parte ao facto dos direitos dos trabalhadores não serem respeitados. Um trabalhador neste momento com estas condições de vida, com o desemprego, o sub-emprego, não consegue chegar a casa com cabeça para uma vida sexual normal. As próprias mulheres não tem estofo para seduzir os maridos porque são mal-tratadas no local de trabalho, têm ordenados mais baixos e têm muitas despesas com os filhos.

Artur Jorge - Efectivamente, a disfunção eréctil é uma situação perfeitamente normal.

Mourinho - Eu sou a cabeça de Portugal na Europa. Acho que não preciso de dizer mais nada.

Odete Santos - O problema da disfunção eréctil deve-se em parte ao facto dos direitos dos trabalhadores não serem respeitados. Um trabalhador neste momento com estas condições de vida, com o desemprego, o sub-emprego, não consegue chegar a casa com cabeça para uma vida sexual normal. As próprias mulheres não tem estofo para seduzir os maridos porque são mal-tratadas no local de trabalho, têm ordenados mais baixos e têm muitas despesas com os filhos.

Guterres - Fico tão triste quando penso que um português tenha esse tipo de problemas. Os homens com esse problema precisam de um apoio do Estado. Estou a falar de um rendimento mínimo garantido sobre a forma de uma bela russa de 1,80.

Carrilho - O sexo para mim é um projecto com início meio e fim e não só com início. Tenho 38760 caracteres de pila. Estou a trabalhar num projecto para acabar com a disfunção eréctil em Lisboa.

Vitorino - Comecei a fazer um tratamento de Ginseng e disse para a minha míuda que a partir de agora são duas ou três por dia, habitua-te!


A secção seguinte só foi possível com a estimável ajuda de Alexandra Solnado:


Salazar - É devido a esse problema que não podemos ter o quarto F.

Humberto Delgado - Obviamente fornico-as.

Cunhal - Disfunção eréctil? Olhe que não olhe não.

Goeboels - Quando oiço a frase falta de tusa puxo logo do revólver.

Descartes - Dispo-a logo excito-me.