2 de junho de 2005

Homem que quer obrigar os outros a ler

Estava um homem chamado Fonseca 1 numa sala de espera a ler um jornal. Ao lado está outro homem o Fonseca 2 a aproveitar para dar uma vista de olhos a esse jornal. Fonseca 1 acaba de ler e muda de página quando percebe que o Fonseca 2 estava com muita atenção a acabar de ler o artigo.

Fonseca 1: Estava a ler?
Fonseca 2: Não, estava só a olhar.
Fonseca 1: Acabe lá de ler que eu espero para depois lermos a próxima página.
Fonseca 2: Deixe estar, obrigado.
Fonseca 1: Leia lá, não há problema, temos de ser uns para os outros. Eu espero. Fonseca 2: Está bem pronto.
Fonseca 1 (Começa a falar alto e em tom professoral) : Não ia ficar bem com a minha consciência. A cultura é muito importante. Ninguém imagina a importância do conhecimento. Eu sei lá se o que você está a ler não vai ajudá-lo a abrir os horizontes, a alterar a forma como você vê o mundo e a vida.
Fonseca 2 (Não estava a conseguir ler) : Olhe estou a tentar ler se não se importasse…
Fonseca 1 cala-se e fica a observá-lo. Passado 30 segundos começa a suspirar, descruza a perna e cruza para o outro lado e começa a ficar inquieto. Fonseca 2 está concentrado a ler. Fonseca 1 farto de esperar diz-lhe:”Falta muito para acabar?”
Fonseca 2: Não , está quase.
Começa a ler muito depressa e a sentir-se pressionado para acabar. Entretanto acaba e diz-lhe:”Já acabei, desculpe lá. Agora vamos ler a página seguinte”. Fonseca 1 não muda a página e fica a olhá-lo de forma séria.
Fonseca 2: Algum problema?
Fonseca 1: Fiquei com a sensação que não tinha acabado de ler.
Fonseca 2: Acabei de ler sim, obrigado.
Fonseca 1: Eu acho que você não acabou de ler. Depois de eu lhe ter dito isso você passado 15 segundos acabou logo de ler, acho estranho.
Fonseca 2: Mas eu li, juro-lhe que li”.
Fonseca 1: Porquê é que você está a mentir? Eu sei que você não leu. Leia do principio e demore o tempo que quiser está à vontade.
Fonseca 2: Mas eu já li, não vou ler outra vez.
Fonseca 1: Mas eu espero, a sério, juro-lhe que não incomodo.
Fonseca 2: Tome lá o jornal.
E levanta-se da cadeira para ir para outra.
Fonseca 1: Isto não fica assim. Se não ler fico chateado consigo.
Fonseca 2: Qual é o seu problema?
Fonseca 1: Fale a verdade, leu tudo bem até ao final normalmente? Tenho a certeza que para o final se desconcentrou.
Fonseca 2: Li bem até ao fim.
Fonseca 1: Mas acho que é melhor começar do inicio.
Fonseca 2 : Mas o que é que você tem a ver com isso? E se não tivesse lido? Meta-se na sua vida e deixe-me em paz !
Fonseca 1: Agora já admitiu que não leu! Sai-me com cada mentiroso. Eu sabia, eu sabia que você não tinha lido. Porque mentiu?
Fonseca 2: Não menti nada mas qual é o problema? Deixe-me em paz.
Fonseca 1: Vai ler ou não vai ler?
Fonseca 2: Não, não vou ler. Acabou-se a conversa.
Fonseca 1: É a última vez que lhe pergunto. Depois vamos ter problemas. Vai ler ou não?
Fonseca 2: Pare com isso. Isto é ridículo.
Fonseca 1 saca de uma pistola e começa a gritar: “Se não começar a ler eu disparo ouviu?”
Fonseca 2 começa a ler. Fonseca 1 está satisfeito: “Assim é que eu gosto. E leia isso com atenção ouviu? Que eu no final vou fazer umas perguntinhas”.