22 de junho de 2005

Entrevista a Vitor Constâncio

Parte 1


Biscoito Interrompido: Tás bom Vitinho?

Vítor Constâncio: Já não me chamavam isso há algum tempo.

Biscoito Interrompido: Pois, ultimamente é mais palhaço, aldrabão não é?

Vítor Constâncio: Sim.

Biscoito Interrompido: E o que acha disso?

Vítor Constâncio: São pessoas invejosas que querem que o Vítor Constâncio não cresça enquanto profissional. O meu trajecto tem sido invejável. O que eu já consegui é uma bofetada para muita gente. O Vítor está bom, recomenda-se e quer trabalhar sempre mais e melhor.

Biscoito Interrompido: Mas o meu amigo aldrabou as contas. Toda a gente sabia que o défice era mais de 6 % no Governo anterior. Foi uma panelinha que fez com o Sócrates para que este governo tivesse desculpas para não cumprir as promessas.

Vítor Constâncio: O Vítor Constâncio recusa liminarmente esses boatos. São pessoas invejosas que querem que o Vítor Constâncio não cresça enquanto profissional. O meu trajecto tem sido invejável. O que eu já consegui é uma bofetada para muita gente. O Vítor está bom, recomenda-se e quer trabalhar sempre mais e melhor.

Biscoito Interrompido: Diga lá a verdade.

Vítor Constâncio: Já disse.

Biscoito Interrompido: Nem por estes Golden Grahams?

Vítor Constâncio: GOLDEN GRAHAMS!!!!!

Biscoito Interrompido: Então?

Vítor Constâncio: Claro que foi uma panelinha pá. Toda a gente sabe.

Biscoito Interrompido: O Bagão está chateado consigo.

Vítor Constâncio: Não está nada. Esse fartou-se de mamar Golden Grahams. Com ele também funciona.

Biscoito Interrompido: Diga-me lá. Vai ser candidato do PS à Presidência?

Vítor Constâncio: Não confirmo esse boato. O Vítor tem mais 3 anos de contrato com o Banco de Portugal. Não sei se já contactaram o meu agente mas ele sabe o que é melhor para mim. Eu por mim quero acabar a minha carreira no Banco de Portugal. Gosto muito, já me sinto em casa. No início demorei a adaptar-me. Estava habituado a outros métodos. Onde eu estava é tudo mais lento, aqui há mais marcação mais pressão.

Biscoito Interrompido: Há uma proposta para ser candidato?

Vítor Constâncio: O Vítor Constâncio recusa liminarmente esses boatos. Quem inventou esses boatos são pessoas invejosas que querem que o Vítor Constâncio não cresça enquanto profissional. O meu trajecto tem sido invejável. O que eu já consegui é uma bofetada para muita gente. O Vítor está bom, recomenda-se e quer trabalhar sempre mais e melhor.


Parte 2


Biscoito Interrompido: E se a proposta for vantajosa. Recusa essa hipótese?

Vítor Constâncio: Nunca se sabe o dia de amanhã. O que eu digo é que sou jogador, desculpa governador do Banco de Portugal. Tenho mais 3 anos de contrato.

Biscoito Interrompido: E se a proposta for vantajosa. Recusa essa hipótese?

Vítor Constâncio: Se for boa para mim, para o meu clube… Banco de Portugal e para o meu agente. É uma questão de conversar.

Biscoito Interrompido: Então confirma que houve uma proposta.

Vítor Constâncio: O Vítor quer acabar a carreira no Banco de Portugal mas não depende de mim. O Banco de Portugal sabe o que eu quero. Mas estou bem aqui mas nunca se sabe. Neste momento só penso no Banco de Portugal e estou confiante que este ano será melhor para mim e para o Banco de Portugal. Trata-se de um projecto ganhador e estou muito motivado.

Biscoito Interrompido: O que acha da carreira de Governadores de Bancos Nacionais? Não acha que os salários são demasiado elevados? O seu homólogo Alan Greenspan dos EUA ganha metade do que você ganha.

Vítor Constâncio: Quem diz isso são pessoas invejosas que querem que o Vítor Constâncio não cresça enquanto profissional. O meu trajecto tem sido invejável. O que eu já consegui é uma bofetada para muita gente. O Vítor está bom, recomenda-se e quer trabalhar sempre mais e melhor.


Parte 3


Biscoito Interrompido: Mas para o nível médio de vida em Portugal não acha demasiado? Agora que em Portugal passamos por uma crise.

Vítor Constâncio: O principal problema da Governação de Bancos Nacionais não são os Governadores mas sim os dirigentes, os Primeiros-Ministros. Os dirigentes é que querem o protagonismo todo para eles quando eu, o Alan Greenspan é que somos o centro.

Biscoito Interrompido: Mas para o nível médio de vida em Portugal não acha demasiado? Agora que em Portugal passamos por uma crise.

Vítor Constâncio: Mas repare que ser Governador do Banco de Portugal não é fácil. Estamos longe da família, é estágios, é conferências a meio da semana no outro lado do planeta. É stressante. Deixamos os estudos muito cedo para tentar a nossa sorte na Academia do Banco de Portugal. As pessoas criticam mas não vêm o lado humano. E depois é uma carreira com risco, podemos lesionar-nos. Eu por exemplo estou a recuperar de uma pubalgia no hemisfério esquerdo devido à sobrecarga de contas que tive que fazer para o relatório do défice que o Governo me solicitou. Eu sei lá se volto a ser o mesmo Governador de sempre. Olhe, há aí gente que usa calculadoras (o que é proibido) e depois ficam queimadinhos para o resto da vida. Ás vezes vem aí a brigada anti-calculadora. Um bom governador faz as contas de cabeça apesar de haver aí uns indianos que tentam tentar-nos. Era bonito era, ser apanhado com uma calculadora e depois a minha carreira? E depois já viu? A minha carreira acaba muito mais cedo e depois? O que é que eu faço? Cresci desde pequenino a fazer isto. Sei lá o que vou fazer? Abrir um banco, eu próprio não é fácil. Tirar um curso de 4º nível de dirigente político? Sei lá.

Biscoito Interrompido: A sua carreira acaba mais cedo?

Vítor Constâncio: Já viu que se nós erramos, é tudo em cima de nós? É muito complicado lidar com isto da pressão.

Biscoito Interrompido: Já percebi que essa sua vida é terrível. E se o seu filho lhe disser que quer ser Governador do Banco de Portugal?

Vítor Constâncio: Espero que ele não siga isso. Ele não está preparado para isso. Hoje é diferente. Começar uma carreira dessas agora é muito difícil. Há muita concorrência. Isto é um mundo cão.

Biscoito Interrompido: Que profissão prefere para ele?

Vítor Constâncio: Futebolista. Muito melhor. Não fazem nada e ganham imenso. Já viu? É uma vergonha o que se paga a esses gajos. Com esta crise, é uma vergonha.

Biscoito Interrompido: Mas você ganha mais que eles!! Está a gozar comigo.

Vítor Constâncio: Vai-te embora malandro. Tu és um invejoso. Tu queres é que o Vítor Constâncio não cresça enquanto profissional. O meu trajecto tem sido invejável. O que eu já consegui é uma bofetada para ti. O Vítor está bom, recomenda-se e quer trabalhar sempre mais e melhor.