4 de junho de 2005

Conferência de imprensa de um primeiro-ministro eleito há 4 meses em 2016

“Portuguesas e portugueses. A situação do país é grave. As promessas eleitorais não vão poder ser cumpridas. A situação está muito pior do que pensávamos. O défice público é de 20% mas a culpa é dos anteriores governos principalmente do Cavaco, Guterres, Durão Barroso, Santana Lopes, Sócrates, Louçã e por ultimo de Sá Leão o último governante. Desta vez vamos mesmo tentar combater a evasão fiscal, reformar a administração pública, aumentar o IVA de 30 para 35%, a idade de reforma passará de 80 para 100 anos, o tabaco passará a custar de 20 para 30 euros o maço porque temos de evitar que o número de fumadores cresça, em compensação não vou obrigar os bancos a pagar mais de 3% de IRC nem vou diminuir os benefícios da Madeira de D. Jardim II porque tenho imenso medo deles”.