4 de outubro de 2006

Investigadores já iniciaram fase de trabalho de campo sobre as razões que levam os velhos a ficarem o dia inteiro nas passadeiras fazendo sinal aos ca

As motivações dos velhos que ocupam as passadeiras da Avenida dos Bons Amigos, no Cacém, fazem parte da pesquisa da Antropóloga Maria do Céu que realizou ontem, uma palestra na sala Medronho do Bingo do Belenenses. Segundo a própria: “estava previsto efectuar entrevistas mas tive muitas dificuldades porque eles não conseguiam ouvir as minhas perguntas e mandavam-me passar. Depois consegui entrevistar as mulheres deles que me disseram que eles trabalhavam na Carris e ficaram traumatizados com 40 anos a pedir para as pessoas chegarem à retaguarda”. Segundo a Antropóloga, esta actividade nas passadeiras preenche o prazer que os velhos têm em sentir “eu é que estou a coordenar isto tudo”. Muitos velhos ficaram sem nada para fazer depois do fim do Mundial. A venda de cromos ilegais de jogadores caiu com o fim do campeonato.