4 de outubro de 2006

Geração de ouro de escritores portugueses de "suspense" tem em comum o facto de serem seguranças das lojas de cosméticos dos centros comerciais

Romão Fagundes Simenon manifestou-se satisfeito com o prémio Hitchcock que contempla o melhor autor de literatura policial. Fagundes revelou quais os contributos da sua actividade profissional para a escrita. “Uma pessoa normal está na loja dos perfumes, olha e vê um casal. Ele decide ficar cá fora enquanto ela vê os perfumes. Depois ela tenta saber a opinião dele, compra o perfume e saem os dois. Um segurança tem outra capacidade de captar a realidade. Aquele casal está a preparar um roubo. Ela não sabe o que quer. O namorado está cá fora, tudo combinado. Ela depois de saber o que quer palmar chama-o. Ele finge que está a dar-lhe uma opinião e fica com o perfume. Ele foge e o alarme soa. Certamente irá atirar-se para o andar de baixo. Ele sabe que vai cair em cima de um castelo de borracha da Olá”.