11 de abril de 2008

Dinheiro cobrado pela ASAE não inclui "encore" de apreensões

O presidente da ASAE, António Nunes, vai cobrar, a partir de hoje, 150 euros por hora para participar em seminários, sessões de esclarecimento e intervenções realizadas em entidades públicas ou privadas. Por cada intervenção, António Nunes exige receber as Chaves da Cidade do município, cinco toalhas de linho, som quadrifónico, massagens shiatsu, camarim bacteriologicamente puro decorado ao estilo "Elton John", comida kosher, saladas com vinagre balsâmico de Modena, garrafas Evian à temperatura de 8º C, limusina, maquilhadora, serviços de engomadoria e 20 figurantes mascarados de fãs efusivos. O cachet não inclui determinados serviços que terão de ser pagos à parte, como as apreensões de queijo italiano mozzarella no bar do auditório ou o show das Nunetes, as cheerleaders da ASAE.