29 de fevereiro de 2008

Terroristas portugueses explodem depois de aplaudirem a aterragem

Segundo as últimas investigações do FBI, milhares de portugueses decidiram sair de Portugal depois de a Al-Qaeda lhes ter prometido uma vida com condições económicas superiores às proporcionadas em terras lusas. Segundo as autoridades americanas, o bombista português é difícil de combater porque tem uma personalidade amistosa e comporta-se de forma insuspeita, sendo dificilmente detectável durante a execução dos atentados. "Os terroristas portugueses nunca falharam um atentado. O português age naturalmente, estaciona o carro à porta do local do atentado, em segunda fila, com os quatro piscas ligados, e, em vez de ter a bomba de cintura bem visível como os seus comparsas islâmicos, coloca-a dentro de uma bolsa de cintura perfeitamente normal, sem fios à mostra, e activa a bomba através de um dispositivo instalado nos atacadores dos velas", afirmou um inspector do FBI.