1 de fevereiro de 2008

Curandeiros e Agências Funerárias triplicam facturação em locais onde fecharam serviços de urgência

A política de saúde de Correia de Campos não tem tido apenas consequências negativas. A maioria dos escritórios de Peniche e Peso da Régua já começaram a ser ocupados por brasileiras especialistas em amarrações com pombas giras, e pelas sucursais regionais dos professores Bambo, Fofana e Karamba. Os apartamentos e espaços comerciais à volta do Hospital de Faro estão a ser tomados por delegações regionais do professor Mamadu, do mestre Alaje, da Madame Sinhá, da Bruxa de Cabinda e de mais de duas centenas de mães de santo. A indústria funerária também tem sido bafejada pelo governo rosa. A agência funerária Servilusa, a maior do país, está a pedir 30 delegados comerciais para a nova sucursal de Anadia, recentemente inaugurada.