20 de fevereiro de 2008

Livros de Miguel Sousa Tavares são escritos por meninos Tailandeses

Miguel Sousa Tavares decidiu há uns anos deslocalizar a sua produção literária para a Tailândia, país com mão-de-obra mais barata. Tanto o livro "Equador" como "Rio das Flores" foram escritos por crianças tailandesas que foram raptadas nas províncias mais pobres do país. Depois de vendidas, as crianças eram encaminhadas para o trabalho escravo para realizar investigações sobre a problemática da escravatura em São Tomé, sobre a sua geografia, antropologia e fauna (Equador) e também para efectuar investigações acerca do fascismo, geografia e costumes do Alentejo e da América Latina (Rio das Flores). Estas crianças de oito anos, que também foram escrevendo algumas cenas de sexo e que fizeram descrições exaustivas de comida (dois recursos muito usados por Sousa Tavares nas suas obras literárias e nas crónicas do jornal A Bola), eram obrigadas a trabalhar 16 horas por dia, alimentavam-se muito mal e sofriam maus-tratos brutais quando os textos estavam mal escritos ou cada vez que tentavam fugir da biblioteca onde viviam.