6 de setembro de 2005

Simão Saborosa

Depois de falhada a transferência de Simão Sabrosa para o Liverpool, Biscoito Interrompido presta mais um serviço à verdade. Verdade essa que tinha combinado fazer duas transferências bancárias de 100 euros cada para mim e ainda não fez.
Descobrimos o senhor John Scotch Brite, o maior vendedor de nougats´s e queijadinhas de Yorkshire e principal accionista do Liverpool: “Atão? Pensam que o Simão não veio para cá por causa da demissão do Xôr Rui Cunha ou lá o que é? Nã, nã, comigo não. O Simão não veio para cá porque exigiu um pagamento extra-ordenado de 30 mil euros por semana para a mulher dele gastar em malinhas Louis Vuitton e Prada. Nós não andamos pr´aqui a estoirar a massa, pá! Nós oferecemos 29990 euros. Realmente a diferença era enorme e não houve acordo. Depois eles disseram-me que mesmo que eu concordasse com isso, eles tinham outra exigência que era mudar o nome do estádio do Liverpool para Estádio Mariana. Nem pensar, pá. No way como vocês dizem aí na Catalunha. Já agora queria aproveitar para dizer que vocês aí em Portugal têm comprado muito pouco o Kit do Liverpool. E depois queixam-se não é? Pensam que é assim que somos o maior clube do mundo e quiçá da Inglaterra passando pelo País de Galos até ao nó da Damaia? Queriam o Michael Owen, o Newscastle vendeu muito bem o Kit deles e safarem-me né? Nós nem um anão gordo com 14 anos que muda o penteado duas vezes por semana e que corre menos que o Paulo Almeida depois de mamar 10 Gold Strikes na despedida da Casa do Castelo, conseguimos contratar.