7 de setembro de 2005

Mourinho e a barba

Há dias vi numa revista um artigo interessante que era como é que uma pessoa podia adoptar a postura do Mourinho no local de trabalho e ter sucesso. Eu digo-vos uma coisa se uma pessoa entrar numa empresa com barba de três dias, gabardine, com uma pronúncia inglesa pior que a da Salma Hayek, a dizer que é especial, com a mania de que é o maior e que todos os outros são burros. Com aquela atitude de “eu é que mando, eu é que sei, tá mas é caladinho”. Em três tempos para não dizer um, uma pessoa era despedida.

Essa história da barba de 3 dias não ajuda. Se formos deputados não ajuda na maior parte dos casos. Se formos deputados do PP ou PSD não devemos ter barba sequer, se formos do PS ter barba de três dias parece que somos ex-comunas. Se formos do PCP barba de três dias é pouco, se formos do Bloco de Esquerda é pouco ou muito pouco ou é suficiente( depende da ala). A barba de três dias só dá jeito se quisermos ser deputada do PCP, aí é perfeito!

Outra profissão que ter barba de três dias não ajuda é a de travesti. Não ajuda. No fundo barba de três dias não ajuda em profissões que obrigam a estar tanto num lado da barricada como do outro.