4 de agosto de 2010

Gnomos contra o preconceito: “Nem todos são gays”

O caso de Francisco Leitão está a afectar os gnomos, que pedem mais respeito, avisam que nunca conheceram o rei Ghob de Carqueja, não estão envolvidos em vídeos pornográficos, nem em negócios de sucatas. “Eu estou um pouco cansado de andar a ser incomodado pela PJ. As pessoas sempre me respeitaram. Não sou nenhum garoto de 200 anos para andar a ouvir bocas sobre a minha suposta homossexualidade só porque uso barretes vermelhos e túnicas azuis. Trabalho muito na penumbra para garantir a protecção dos tesouros íntimos da humanidade e a fertilização da terra, areia, argila, pedras e plantas. Nunca andei em cemitérios, nunca fui a casa desse Francisco Leitão e nunca fui a bares de karaoke. Não o conheço pessoalmente e não conheço ninguém que o conheça. O meu superior é o arcanjo Uriel. E ele também não está associado a este caso e também não é gay, tal como já referi ao Correio da Manhã e a uma jornalista maluca da SIC que anda o dia inteiro no helicóptero para trás e para a frente só a perturbar quem quer trabalhar”, afirmou um gnomo.