13 de julho de 2010

Jornalista português do 2.0 ganhou campeonato mundial e aguentou estar 3 horas seguidas sem colocar nenhum link no Facebook e twitter sobre a morte dos jornais em papel

Um jornalista português acaba de se tornar o campeão mundial de resistência à partilha de links sobre a morte dos jornais em papel na categoria “3 horas”. O português melhorou mesmo a sua marca pessoal em 26 minutos. O mesmo jornalista português competiu nas categorias “6 horas”, “12 horas” e “24 horas” mas ficou sempre a meio da tabela, provas que foram ganhas por jornalistas espanhóis. “Eu fui prejudicado pelo árbitro. Eu já não aguentava mais e meti um link de um artigo que apresentava a quebra de vendas de jornais, a quebra de receitas de publicidade e a quantidade brutal de jornais falidos. Esse artigo questiona o futuro dos jornais em papel e os modelos de negócio. O artigo augura um futuro negro para o jornalismo em papel mas nunca chega a falar em morte. O árbitro considerou que esse link violava as regras e sancionou-me”, afirmou o jornalista.