6 de julho de 2010

Indivíduo divorciado lança petição que defende o uso das novas tecnologias para decidir quem tem razão nas discussões conjugais

Um homem divorciado de 45 anos acaba de lançar uma petição pela verdade no amor e defende o uso da tecnologia nas relações conjugais. Segundo o indivíduo, nas grandes discussões devia utilizar-se o vídeo-árbitro, a câmara e o chip na língua para controlar o tempo que cada um tem para esgrimir os argumentos e não permitir interrupções, falácias e truques de retórica para baralhar raciocínios. “O recurso a uma imagem permitiria em 10 segundos verificar o que a pessoa disse para inviabilizar interpretações abusivas e para validar determinados argumentos que elas se recusam a debater. E faz falta também um dispositivo electrónico para detectar e invalidar a chantagem emocional, o equivalente conjugal ao fora-de-jogo, estilo de lances que decide o resultado final de uma discussão”, fundamentou.