5 de fevereiro de 2010

Manuel Sebastião está programado para começar todas as frases com "estamos a acompanhar o mercado e ainda não detectámos nada de irregular"

A inoperância de Manuel Sebastião, presidente da Autoridade da Concorrência, poderá ter uma justificação diferente da que seria de esperar. A sua habitual demissão de obrigações ao ignorar indícios evidentes de concertação de preços poderá dever-se ao facto de estar equipado com um microprocessador com um repertório de competências extremamente limitado ao nível da análise crítica e avaliação de resultados, estando apenas programado para dizer variações a partir da única ideia adquirida como "estamos a monitorizar o mercado e ainda não detectámos nada de irregular".

Publicado no Inimigo Público de 22 de Janeiro de 2010