9 de fevereiro de 2010

Especialistas estão de acordo: plantel do Benfica pago pela Sagres é superior ao plantel pago pela EPUL

O Benfica encaixou ilegalmente 65 milhões de euros à custa do contrato-programa firmado com a EPUL e a Câmara de Lisboa, no âmbito do Euro 2004, e encaixou 40 milhões de euros à custa de um contrato assinado com a Sagres. Segundo os especialistas, o plantel pago pela EPUL não tinha um único lateral/médio ala canhoto no plantel, não tinha nenhum central ágil e rápido e carecia de um finalizador nato. “A Sagres trouxe Ramires, Javi García e Saviola, jogadores de nível mundial. A EPUL trouxe Cristiano, Peixe, o irmão de Jardel, o veterano Hélder, Alex e o regressado Nuno Gomes. O Benfica de Bossio, Cabral, Armando, João Manuel Pinto, Andrade, Fernando Aguiar, Argel, Andersson e Carlitos era uma equipa desmotivada, atabalhoada, sem raça, sem talento, sem classe, sem ambição, sem fio de jogo e sem jogadores que faziam a diferença. Resumindo: parecia o Sporting de agora”, concluiu um comentador.