20 de janeiro de 2011

Tosses em programas de comentário político e debates serão taxadas

Depois de taxar o bocejo, o assobio, o soluço, o som feito com a boca do cavalo a trautear e o uso da expressão “Isso é que era de valor”, o governo, num claro ataque a Marcelo Rebelo de Sousa, acaba de anunciar que vai começar a taxar um importante mecanismo de defesa do aparelho respiratório. À excepção dos fumadores com bronquite crónica, todos os comentadores de televisão terão de pagar um imposto sobre a tosse que produzem. O valor será de 25% do cachet que auferirem para os casos de tosse seca sem expectoração e de engasgo. A emissão de muco será punida com 50%.