18 de janeiro de 2011

Prostitutas tiram licenciatura em Economia para melhor compreender os clientes quando estes desabafam


As faculdades portuguesas de Economia estão a ser invadidas por profissionais do sexo que procuram adquirir recursos fundamentais para desempenhar com mais qualidade a sua profissão. “A Economia é o novo Kamasutra! Antigamente era preciso ser sensual, seduzir, saber dançar, fazer strip e estar disponível para todas as maluquices sexuais. Agora é preciso é saber falar sobre a Angela Merkel, o FMI, Irlanda, Grécia, Espanha, o juro da dívida portuguesa, a crise do euro, o sub-prime, os países PIIGS e saber o que é um “bailout”. Antigamente acordava e ia ao ginásio para manter a forma. Agora acordo e vou logo ler o Jornal de Negócios, o Diário Económico, o Financial Times e o Paul Krugman. Antigamente eu perguntava ao cliente como é que ele queria que eu me vestisse. Agora pergunto se ele é Keynesiano ou Monetarista. Daqui a pouco vou atender um empresário americano e tenho de saber falar sobre o facto da Reserva Federal dos Estados Unidos estar preocupada com as eventuais consequências da crise da dívida europeia sobre a economia norte-americana. Já sei que ele vai querer desabafar sobre isso”, afirmou uma acompanhante economista.