21 de janeiro de 2011

Qualidade de produção dos sonhos dos portugueses já está a ressentir-se do aumento do IVA

As medidas de austeridade do governo que entraram em vigor em 2011 já estão a empobrecer as histórias dos sonhos dos contribuintes portugueses. Os sonhos eróticos são passados em camas baratas de solteiro do IKEA ou da Moviflor, o sexo é ao natural porque o IVA dos preservativos também aumentou, a lingerie é comprada no chinês, as mulheres loiras têm as raízes pretas muito salientes porque o cabeleireiro também está mais caro e no final do sexo morde-se as palhinhas dos pacotes de leite achocolatado em vez de fumar cigarros. Com a gasolina a 1 euro e meio, as perseguições de carros são interrompidas por falta de combustível. Os períodos REM, fase do sono em que se sonha, são encurtados para poupar e quando já se estoirou o orçamento para aquela noite, aparece uma reposição de um sonho de uma noite anterior ou uma mira técnica até o contribuinte acordar.