12 de junho de 2010

Mundial de marchas populares: Marcha da Madragoa tem excesso de brasileiros naturalizados

A Marcha da Madragoa estreia-se hoje no Mundial de Marchas Populares na África do Sul. A melhor prestação de um bairro lisboeta na modalidade foi no Europeu de Marchas em 2004, tendo a marcha de Marvila perdido na final frente à marcha de Salónica. Segundo os especialistas, a marcha popular portuguesa tem perdido qualidade artística e identidade, já que as marchas de Alfama, Castelo, Marvila, Bairro Alto, Bica, Alcântara, Mouraria, Alto Pina e Santa Engrácia já são compostas maioritariamente por ensaiadores, coreógrafos e porta-estandartes nascidos em África, China e no Brasil. O seleccionador da Madragoa, que vai defrontar as marchas de Abidjan, Pyongyang e favela da Rocinha, tem sido arrasado pelo estilo de coreografia e pela escolha de aguadeiros, marchantes e músicos em péssima forma física e artística.