14 de junho de 2010

Dicionário chinês-português usado por comerciantes chineses em Portugal não tem entradas “factura” e “impostos”

Acaba de ser lançado o Dicionário Académico Chinês-Português/Português-Chinês, dicionário que reúne mais de 25 500 entradas e que contempla também variantes lusófonas. O dicionário apresenta mandarim-português em sms, transcrição em pinyin (sistema fonético chinês) de todos os termos chineses e transcrição fonética das entradas portuguesas. Para ser mais prático e útil, o dicionário removeu todas as entradas consideradas absolutamente dispensáveis para um chinês a viver em Portugal: lei tributária, IVA, IRS IRC, alvará, ASAE, Segurança Social, Seguros de Acidentes de Trabalho, regulamentos, higiene, rótulos, horário de trabalho, férias, escolaridade obrigatória, turnos e salário.