30 de dezembro de 2008

Jesus tinha esquema fraudulento piramidal de fundos de investimentos que apostavam nos activos dos milagres da multiplicação de pães

Jesus Cristo terá montado um esquema fraudulento de dimensões comparáveis ao do antigo presidente do índice Nasdaq, Bernard Madoff. O Fundo Jesus de Nazaré envolveu um montante global de 500 mil milhões de sestércios e fazia a gestão de activos do Imperador Tibério, dos governadores das províncias romanas e um ou outro fariseu. Usando os seus contactos, Jesus Cristo criou um grupo de doze discípulos, encarregues pelo recrutamento de novos investidores. Depois do sucesso inicial, o esquema, dependente da renovação constante de investidores, começou a vacilar. Sem liquidez financeira, o rei Herodes e o Governador da Judeia colocaram os seus activos à venda. A inexistência de compradores, levou ao Crash da Bolsa da Galileia, que se estendeu depois à Bolsa da Nazaré e Jerusalém. Com o índice Jericó-20 a bater recordes negativos, Jesus Cristo foi detido pelos romanos e, depois de ter pago a caução de 10 mil milhões de sestércios, ficou em crucificação domiciliária a aguardar julgamento.