10 de dezembro de 2008

Inexistência de reuniões no BPN provoca onda de divórcios entre funcionários do banco

O ex-administrador do Banco Português de Negócios (BPN), Dias Loureiro, afirmou que o modo de funcionamento da instituição era estranho devido a inexistência de reuniões. Estas afirmações estão a provocar um turbilhão familiar em funcionários e ex-funcionários do BPN. “O meu marido dizia-me que não vinha jantar a casa ou que chegava mais tarde por causa das reuniões lá do banco. Depois de ouvir o Dias Loureiro, não vejo outra solução que não seja divorciar-me daquele traidor mentiroso”, afirmou a esposa de um funcionário do BPN.