19 de dezembro de 2008

Crónica sobre o carjacking

O carjacking é o crime da moda em Portugal. Por causa disso, o meio profissional do carjacking está a ficar repleto dos vícios do sucesso e da fama. Está a ficar uma coisa demasiado elitista e exclusiva. É um negócio que está nas mãos de grandes gangues e são sempre os mesmos. Isso já chateia. Estes gangues estão comodamente instalados, não inovam, ditam as regras do jogo e impedem a entrada de novos talentos do carjacking. Os pequenos e médios gangues do carjacking estão condenados a desaparecer. E eu acho que faz muita falta o carjacking de nicho, os pequenos gangues altamente especializados. Gangues com o seu próprio métier, com o seu estilo peculiar inconfundível. Onde está o carjacking de autor? Não está. Onde estão os "Keith Richards", os "Tom Waits" e os "Jeff Buckleys" do carjacking? Não estão. Onde está a "Beatriz Batarda" do carjacking? Não está. O único carjacking que eu vejo a proliferar é o carjacking "mainstream", insonso, impessoal e sem alma.

Posto isto, eu pergunto: para quando a criação de um gangue de anões para assaltar Smarts?