12 de novembro de 2007

Tinta branca encomendada pela Estradas de Portugal para os traços descontínuos dava para os traços contínuos

O relatório do Tribunal de Contas conclui que a situação económica e financeira das Estradas de Portugal "é preocupante" e que a má gestão e o descontrolo de despesas também se verificam nos contratos de aquisição de tinta branca, no valor de centenas de milhões de euros, sem a realização de concurso público. As encomendas de tinta têm sido claramente acima das necessidades da empresa. Só a encomenda de tinta branca para repintar os traços das faixas de rodagem e de segurança do troço Pombal-Antuã servia para cobrir de passadeiras o piso de todas as faixas de rodagem do troço Marateca-Caia, para pintar zebras em todo o pavimento do troço Aveiro-Vilar Formoso e ainda para pintar todas as faixas de ambos os lados de Lisboa-Madrid integralmente de branco.