26 de novembro de 2010

270 nomeações justificadas pelo facto de que todas as dietas têm uma refeição semanal em que se pode comer tudo o que se quiser

Desde que foram anunciadas as medidas de austeridade, o Governo já fez 270 nomeações para cargos no Governo e na administração directa e indirecta do Estado. Apesar de ser um número de nomeações muito superior aos primeiros anos de José Sócrates, o chefe de governo já veio justificar estas contratações. “O Estado está a fazer uma ambiciosa dieta e estamos a cumprir os procedimentos aconselhados pelos melhores nutricionistas. Uma dieta é sempre dolorosa e por isso é preciso algumas compensações para motivar e premiar o sacríficio. Pensem nestas 270 nomeações como a picanha, o arroz, o feijão e a batata frita depois de uma semana inteira a almoçar grelhados e saladas e a jantar sopa e fruta”, afirmou Sócrates enquanto comia um mega sundae de caramelo.