11 de maio de 2010

Governo e Mota-Engil cumprem minuto de não-concessões em homenagem à morte das Finanças Públicas

José Sócrates decidiu mostrar que está preocupado com a situação do país depois de ter sido criticado por ter assinado um contrato de 1200 milhões de euros para a construção da auto-estrada Pinhal Interior um dia depois da Standard & Poor’s ter reduzido em dois níveis a notação da dívida portuguesa. Mantendo a irredutibilidade em proceder ao saneamento das contas públicas, José Sócrates e Jorge Coelho decidiram simbolicamente pousar as canetas e aliviar o Estado de encargos insuportáveis durante 60 longos segundos . “O minuto foi integralmente respeitado e até ultrapassado em três segundos. Agora vamos lá assinar aqui umas papeladas que temos 29 mil milhões de euros em projectos de transportes para sorver”, afirmou José Sócrates.