24 de maio de 2010

David de Miguel Ângelo está farto de museus virtuais com imagens em 360º e zoom nos detalhes e assume “ok, é pequena, e daí?”

Algumas esculturas nuas estão a começar a sentir-se enxovalhadas com a massificação dos sites e museus virtuais que permitem uma visualização mais exaustiva das obras de arte. David está cansado desta excessiva exposição mediática e confessa que não é fácil ser a obra de Miguel Ângelo que mais expõe a sua intimidade. “O problema é que não dá para tapar porque o Miguel quis que eu ficasse assim. Sou uma espécie de Elsa Raposo do Renascimento. Por exemplo, os nus da Capela Sistina estão mais bem servidos que eu e não ficam tão à mostra porque estão empoleirados uns nos outros.




No Juízo Final,  Maria e Jesus mostram o corpo mas têm uma pequena veste a tapar a parte mais sensível do baixo ventre.




O Moisés que está na Igreja de São Pedro Acorrentado em Roma está todo tapadinho. É gente com outro estatuto.



O Adão da Capela Sistina não foi mais bafejado que eu mas tem a perna no ângulo certo a tapar. Ao contrário do meu, o dito cujo do Adão nunca chega a aparecer completamente escarrapachado no site”, afirmou David.