13 de maio de 2010

Exportações portuguesas não crescem devido aos carros estacionados em segunda fila que não deixam os camiões de mercadorias passar

Ao contrário do que se pensava, o maior incentivo para o crescimento das exportações portuguesas, questão decisiva para resolver os problemas da economia portuguesa, não passa pelos fundos que reforçam o capital necessário à internacionalização das empresas, pela subscrição de títulos de dívidas ou pela resolução de todas as dificuldades de acesso das empresas aos seguros de crédito à exportação. O estacionamento irregular estará a ser o principal entrave aos negócios, que acabam por ser cancelados devido à demora na entrega das mercadorias. “São milhares de negócios que são cancelados só porque o condutor do camião apita e o proprietário da viatura não aparece. O prazo estipulado para a entrega da mercadoria já expirou e o condutor continua a apitar sem qualquer efeito. Era preciso reforçar a fiscalização, colocar mais agentes, aumentar as coimas para os infractores e rebocar todas estas viaturas que estacionam em segunda fila e que estão a assassinar a nossa economia”, afirmou o economista João Duque.