2 de maio de 2006

Baldas de deputados respeitaram lei da paridade

Maria de Belém estava satisfeita por ter sido cumprido o Artigo Camarão de Espinho da Lei da Paridade que assegura que pelo menos 33,3% de todos os deputados baldas possam ser do sexo feminino. Helena Roseta afirmou: “O Artigo Camarão de Espinho é insuficiente. Temos que fazer como na Suécia”. A deputada referiu que na Suécia existem várias Assembleias espalhadas pelo país, o que permite à mulher moderna mudar de ares sempre que queira. E acrescenta: “todas as Assembleias têm lojas com coisas de gaja e quiosques da Olá com muito mais variedade de toppings. As casas de banho têm livros da Isabel Allende e da Inês Pedrosa. Faz-me falta uma Assembleia na Costa Alentejana e uma em Tábua que é a terra dos meus sogros”. A apoiante de Alegre salientou que a condição feminina tem vindo a melhorar: “Há poucos anos na votação do projecto que descriminalizava os intelectuais transgénicos, os machos do PS fugiram todos. Obrigaram-nos a trazer amigas que saíram de casa já mascaradas de deputados. Vá lá que consegui convencer o mulherio todo do meu bairro e houve quórum”.