4 de junho de 2011

PSD descola do PS à hora do almoço mas PS recupera da desvantagem à hora de jantar

Ao contrário do que tem sido referido, as intenções de voto não oscilam de acordo com os factos políticos e as gaffes dos candidatos e dependem muito mais do relógio biológico dos eleitores. Entre as 7h e as 8h, o eleitor está meio dormente e fraco devido ao jejum, pelo que terá maior tendência a votar no PS. A partir das 9 horas, o corpo começa a produzir endorfinas (analgésicos e anestésicos naturais) que encorajam um voto no PSD, partido que tem um plano mais duro que a troika, devido a maior tolerância à dor. A partir das 10 da manhã, o estado de vigilância atinge o seu pico e o eleitor tem frescura para a reflexão e a discussão de ideias, sendo que esta é a fase em que o PAN elege um deputado e o Bloco de Esquerda e o PCP obtém 15% nas sondagens. Depois do almoço, verifica-se um empate técnico entre PS e PSD. Ao lanche, PS e o CDS baixam e o PSD sobe 5 pontos percentuais, chegando aos 40%. A partir das 19 horas, o regresso da moleza resulta numa recuperação do PS até ao empate técnico.

Siga o Biscoito no Facebook AQUI