23 de junho de 2011

Bloco de Esquerda vai deslocalizar-se para leste onde o mercado da extrema-esquerda é mais rentável que em Portugal

Depois de ter reduzido o número de votos para metade, o Bloco de Esquerda chegou à conclusão de que não é viável o partido facturar apenas 288118 votos e decidiu apostar na internacionalização. “O mercado da extrema-esquerda em Portugal está esgotado. Temos de procurar novos mercados e novos eleitores que nos possibilitem uma quota de mercado superior à que temos em Portugal e com menos custos. Não vamos mudar a nossa matriz. Vamos continuar a fazer o que sabemos fazer, pois temos o melhor trotskismo do mercado. Até ao final deste ano, vamos abrir na Roménia, Polónia, Bulgária, Hungria, Albânia e Bielorrússia. Em 2012, abrimos na Bósnia e Herzegovina, República Checa, Croácia, Eslováquia e Eslovénia e, em 2013, vamos abrir na Estónia, Letónia, Lituânia, Macedónia, Moldávia, Rússia, Sérvia, Ucrânia e Kosovo e descontinuamos em Portugal”, afirmou Louçã, o CEO do Bloco de Esquerda