14 de dezembro de 2009

Prostitutas de Copenhaga confirmaram: pegada ecológica de sexo de negacionistas é menor que ecologistas

Em protesto aos esforços da cidade de Copenhaga em limitar a prostituição durante a Conferência Climática da ONU, as prostitutas locais passaram a oferecer os seus serviços de forma gratuita aos conferencistas da COP15. Mais uma vez foi possível constatar o contraste entre os princípios apregoados pelos ambientalistas e a sua prática pessoal. "Os negacionistas gostam de luz apagada, dispensam aquecedores, não tomam banho antes e usam saliva e azeite. Os ambientalistas usam vaselina, gastam imensa água no banho de espuma, usam frutas transgénicas nos jogos amorosos e vestem fantasias de enfermeira de tecidos sintéticos. Eles levam-me a jantar ostras, usam brinquedinhos eróticos feitos de plástico e gostam de ficar amarrados a camas que não são propriamente o melhor contributo para evitar o aumento do desmatamento florestal", afirmou a cortesã.

Publicado no Inimigo Público de 11 de Dezembro de 2009

Edição online do Inimigo Público aqui