29 de abril de 2009

Portugueses respondem a escassez de santos portugueses com naturalização de santos brasileiros mas já existe mal-estar na selecção nacional de santos

A Igreja portuguesa já está a usar o mesmo truque do futebol português para compensar a falta de qualidade de intérpretes nascidos em território luso. Esta situação está já a provocar um mal-estar latente e sérias divisões dentro do grupo da santidade nacional. O grupo que concorda com a naturalização de brasileiros, encabeçado por São Martinho de Dume, é composto por santos que viveram antes da fundação da nacionalidade, bispos, mártires e frades dominicanos. A facção mais conservadora é constituída pela Irmã Lúcia, pastorinhos, militares e missionários jesuítas. “Este grupo considera que a Nossa Senhora da Aparecida e o Frei Galvão não estão identificados com o nosso país. São beatos que sabem que não têm hipótese de chegar a santos pelo Brasil e querem ser santos por Portugal por puro oportunismo”, afirmou Alexandra Solnado.

Publicado no Inimigo Público. Edição online Aqui