1 de agosto de 2008

Indivíduo impedido de adquirir electrodoméstico a pronto

Um indivíduo foi ontem impedido de adquirir um plasma numa conhecida loja de electrodomésticos conhecida pelos seus catálogos, que apresentam o preço total do produto em letras mínimas e o preço por mês em letras garrafais. O conflito começou quando o indivíduo se dirigiu à caixa para pagar a pronto o equipamento e percebeu que não era possível. Apesar das tentativas de persuasão do funcionário, o cliente manteve-se renitente em contrair um empréstimo, o que terá enfurecido o funcionário. O indivíduo foi levado para uma sala onde foi pressionado a adquirir o produto a crédito. Três horas depois, o cliente assinou a proposta, tendo que pagar uma mensalidade extremamente baixa durante os próximos 72 meses.