10 de agosto de 2006

Foi fundado partido político do Não sabe/Não responde

“Sempre que há uma sondagem mais de metade das pessoas respondem que não sabem ou não respondem. Queremos dizer a essas pessoas que nós somos o partido perfeito para representá-las”, afirmou o fundador António Godinho. O fundador recusa a existência de facções dentro do partido mas o Biscoito apurou que elas existem. “Colocar o não sabe e o não responde no mesmo saco é ser politicamente cego. Há que tirar ilações dos significados específicos de um não sabe e de um não responde. A ambição do poder obriga a uma linguagem dúbia mas eu discordo. Eu dou preferência a uma postura de não respondo porque um político não pode responder que não sabe”. O líder acusa esta facção radical de que estas ideias já são usadas pelos partidos do centro político e acrescenta: “mantenho a ideia de que é preciso conciliar um não sabe com um não responde. Optar por uma delas em exclusivo é ser pouco ambicioso”. António Godinho promete não cair na tentação de se desviar para o lado do não sabe.