14 de agosto de 2006

Donos de tabacarias querem que olhadelas a jornais tenham a mesma moldura penal dos crimes de download ilegal

Fernando de Sousa, 39 anos, hacker em recuperação e dono de uma tabacaria mostra-se apreensivo: “a conduta das pessoas está a ser muito influenciada pela net. As pessoas pensam que aqui é tudo de graça. Começam a ver os jornais, estão dez minutos a ler as partes mais importantes dos jornais e revistas e depois vão embora. Nem compram um maço de tabaco nem nada. E eu que o compro em Badajoz, até fazia uma atençãozinha se o cliente fizesse despesa”. Fernando já tentou tudo para salvar o negócio: “já ofereci contas com banho de prata da candonga na compra do 24 Horas. Tinha aqui à venda cd´s com ficheiros em pdf das edições de todos os jornais diários. Imaginem o trabalho diário que eu tinha a digitalizar aquilo tudo e nem por um euro a malta comprava uma coisa que lhes custava 5 euros se comprassem os jornais todos”.