14 de agosto de 2006

Poder presidencial mais usado tem sido o suspiro

O poder de franzir a testa tem sido razoavelmente usado mas sempre em privado. O poder de piscar o olho como sinal de cumplicidade foi usado publicamente por uma vez mas ninguém reparou. Cavaco não pretende recorrer muito ao poder gestual nº34 que significa “anda lá com isso que estás a ser redundante, pá!” O Biscoito sabe que Cavaco usou o poder da negação pessoal nos dates semanais de quinta-feira. Cavaco negou por várias vezes a Sócrates duas pastilhas de Mentos de morango. Uma vez impediu que Sócrates lhe limpasse o suor da testa com toalhitas Dodot Dermoactive, em tempos, muito usadas numa casa ao lado da casa do primeiro-ministro.