28 de junho de 2006

CTT quer reduzir conversas de circunstância entre empregados e clientes para 45 minutos por cliente no máximo

Sérgio, funcionário dos CTT da secção de encomendas superiores a 5kg, afirmou ao BISCOITO: “Os gajos da Administração queriam impôr o limite de 30 minutos e nós fizemos uma proposta de uma hora. Fez-se a coisa ao estilo dos romances de John Grisham e negociámos a coisa a meio. Deu bronca porque demorámos um ano e picos para resolver isto. Tanto o Sindicato como a Administração não conseguiu calcular o valor intermédio”. A Administração dos CTT recusa o boato de que o assunto só se resolveu com a contratação de uma empresa de Consultoria a troco de um milhão de euros. Chiquinho, Presidente dos CTT afirmou: “Pagámos 900 mil euros. Foi barato porque ainda nos ofereceram um plano de negociação para a próxima polémica que é a redução de conversas de circunstância entre colegas de secção. O Sindicato exige um máximo de 3 horas. Nós respondemos com 2 horas e 45 minutos e agora ainda é mais complicado. Eles vão tratar de tudo porque a Chiquinho Consulting é a maior!”