8 de outubro de 2009

Polícia apanha traficantes de poesia em flagrante

A GNR deteve 476 pessoas por posse e tráfico de poesia em dezenas de instituições do ensino básico, secundário e centros de explicações. Foram ainda elaborados 1368 autos de contra-ordenação a declamadores de poesia e a traficantes de ensaios de Antropologia Política e Sociologia. Segundo o Comando Territorial de Setúbal, a maior operação foi realizada na zona de Santiago do Cacém, tendo sido apreendidas 3456 doses de Camilo Pessanha, 50 de Ruy Belo, 126 de Fernando Assis Pacheco, 43 de Luiza Neto Jorge, 67 de Herberto Helder, 345 de António Nobre em versão audiolivro e 250 quilos de sonetos de Luís Vaz de Camões. As autoridades estão surpreendidas com a quantidade de poesia apreendida que estava adulterada. “Os versos decassílabos têm as sílabas tónicas nas posições erradas. Os traficantes misturam sempre uns aforismos e uns restos de epopeias só para fazer render o produto”, afirmou um agente da GNR.