23 de outubro de 2009

Obsessão de Sócrates pelo diálogo leva pessoas a acharem que Guterres era autoritário

Depois de ser indigitado pelo Presidente da República para formar Governo, José Sócrates pronunciou por doze vezes a palavra "diálogo" e disse que estava de "coração limpo", "espírito aberto" e "mão estendida". Segundo alguns comentadores, este novo estilo de Sócrates poderá refazer a imagem de Guterres. “Olho para o Sócrates e parece que ele está a recitar poesia do Vinicius de Moraes. Ele sem a maioria absoluta perdeu mais força que o Sansão depois de cortar o cabelo com máquina zero. Ao pé deste Sócrates, o panhonha do Guterres parece o Czar Ivã, o Terrível”, afirmou um comentador.

Publicado no Inimigo Público de 16 de Outubro de 2009

Edição online do Inimigo Público aqui