7 de dezembro de 2007

Professor Charrua voltou a sofrer processo disciplinar por ter aceite sugestão de dar o nome de Sócrates a urso de peluche

Depois do caso ocorrido no Sudão em que uma professora Britânica foi condenada pelo facto de ter deixado que os seus alunos dessem o nome de Maomé a um urso de peluche, o professor Fernando Charrua é acusado de ter autorizado e até incentivado a que os alunos baptizassem de "Sócrates" um urso de peluche. O professor enfrenta assim um novo processo disciplinar tendo argumentado em sua defesa que o boneco não era um urso mas sim um "koala fofinho" e que o nome dado foi a pensar no filósofo e não no primeiro-ministro. Sócrates já prometeu mão pesada e não se mostra mais flexível mesmo depois de saber que a professora britânica foi perdoada pelo presidente do Sudão.