6 de dezembro de 2007

Jovem da Papua Nova Guiné atacou colegas de escola com fisga e, dez minutos depois, já havia pinturas rupestres com imagens do sucedido

Um jovem de 18 anos da Tribo Foré invadiu a tenda de aula da escola Escola C+S de Kerema e assassinou dez colegas. As autoridades já anunciaram que o jovem conseguiu fugir da escola após o crime e foi descoberto já sem vida numa caverna usada pelo próprio para fazer pinturas rupestres representativas dos seus crimes. Numa das pinturas, de há duas semanas atrás, aparecem imagens do jovem apontando fisgas para uma escola com a inscrição da data do atentado. A pintura já foi apagada bem como os comentários anónimos de outros jovens, frequentadores habituais daquela caverna. Os psicólogos da Papua Nova-Guiné já alertaram os pais dos jovens para que não deixem os seus filhos ver pinturas rupestres violentas pois as mesmas poderão potenciar novos atentados.