27 de maio de 2008

Funcionários que trabalhem em escritórios com obras de Paula Rego expostas nas paredes têm o dobro das baixas fraudulentas

Ao contrário de alguns estudos que aconselham a exposição de arte contemporânea nas paredes dos escritórios para melhorar a produtividade dos funcionários, os últimos relatórios da avaliação de desempenho de funcionários de algumas empresas evidenciam uma conotação negativa. A maioria dos funcionários que trabalha num local de trabalho decorado com quadros de Paula Rego, em que aparecem retratadas as tão singulares e típicas mulheres gordas vestidas com camisa de noite, com atitude sexualmente libertina mas ao mesmo tempo com cara de construtor civil de reputação duvidosa, costuma chegar duas horas atrasado ao trabalho e já não volta após o almoço. Desde que passaram a ver diariamente alguns quadros da nova fase de Noronha da Costa que privilegia a temática do mar, os advogados de uma grande firma de advocacia da zona de Lisboa foram despedidos porque começaram a perder todos os casos judiciais.