27 de maio de 2008

Filme "O Sexo e a Cidade"

Personagens são mais maduras e profundas e só vão para a cama 15 minutos depois de conhecer o homem, em vez dos 5 minutos da série


Quatro anos depois do fim da série, as aventuras de "O Sexo e a Cidade" regressam, desta vez, ao cinema. Ao contrário das personagens da série, as quatro mulheres estão mais maduras, menos fúteis, mais profundas e em vez de se juntarem no café a fazerem troça da prestação sexual dos homens com quem se encontraram na noite anterior, encontram-se num templo para fazer Meditação Transcendental. A personagem Carrie, sensível à crise que assola os Estados Unidos e a Europa, em vez de gastar 600 euros num par de sapatos Manolo Blahnik, não gasta mais de 50 euros em sapatos rasos e discretos em lojas de comércio tradicional. Miranda, Cynthia Nixon, decide passar a usar fraldas de pano no filho depois de perceber que as fraldas descartáveis contêm químicos danosos para o bebé e prejudicam muito mais o ambiente. Charlotte (Kristin Davis) abandona o hábito de caçar maridos judeus abastados e casa-se com um muçulmano com emprego precário. Samantha, Kim Cattrall, a personagem mais libertina em termos sexuais, dá o exemplo de civismo quando, a meio do filme, decide ir à rua colocar as pilhas gastas do vibrador num contentor de reciclagem.