18 de janeiro de 2006

Putalhices

O dono do Passerelle Vítor Trindade foi detido. Há suspeitas de associação criminosa, envolvimento numa rede que explorava prostituição, tráfico de mulheres e auxílio à imigração ilegal.

Para Manecas o dono do Dancing Bar Papo Húmido localizado no Norte do país : "Isto não passa de uma campanha bem montada de Marketing para promover o Passerelle. Porque assim, a marca é falada, torna-se muito mais conhecida e muito mais gente vai querer ir lá. O que é que vocês pensam? Isto é um belo truque e está tudo combinado entre aquela malta toda".

Manecas instado a continuar a desenvolver a ideia porque o Repórter Biscoito estava a adorar a conversa, acrescentou: "Eu exijo que a PJ venha cá acima e me prenda. Eu sim sou um monstro. Tenho centenas de putas a trabalhar para mim e são mesmo putas. Esse gajo do Passerelle é um copinho de leite. Coloca-as a dançar e a tirar a roupinha e mais nada, pá! É um crime é não deixar o cliente poder levá-las, ainda por cima com aquele material que põe a malta doida. Essa coisa de que nas casas dele "se vai ao castigo" é mentira. É falsa publicidade. E elas lá até são bem tratadas. Agora aqui não. Eu trago as gajas do Brasil e ponho-as a fazer aos 7 e aos 8 clientes por dia sem lhes pagar nada! Levam porrada e nem podem sair à rua. Isto sim é que é trabalhar. Porque isto é um negócio sério e para o cliente ter um serviço de qualidade e em conta é preciso fazer como os chineses e ser competitivo. PJ se me estão a ouvir venham cá. Façam-me uma detenção como deve ser. Querem um gajo criminoso a sério daqueles à antiga como no Padrinho, aqui estou eu! Quero ver o país inteiro a conhecer o Papo Húmido. Vá lá que eu quero fazer disto um franchising e expandir isto pelo país inteiro".